d.r.i.

Crossover Thrash / Hardcore Punk

Estamos em meados dos anos 80 e algo está a acontecer em casa dos pais de Kurt e Erik Brecht, num bairro tranquilo, algures na cidade de Houston, Texas. Mas nem tudo é tranquilo. Os dois irmãos estão a ensaiar com a sua banda.

 

O barulho irrita o pai Brecht e, num acesso de raiva, ele grita uma série de obscenidades: “You Dirty, Rotten Imbeciles!”. E puff, a espontaneidade do líder do clã Brecht eternizou-se na forma de nome do grupo que, hoje, todos conhecemos e adoramos.

 

Pouco depois desse episódio, os rapazes editavam o seu primeiro EP, de 18 minutos e 22 faixas. Os D.R.I. bebiam inspirações do hardcore e do punk, mas quando se mudam para São Francisco as influências do thrash começam a ganhar peso nas suas composições.

 

‘Crossover’ sai em 1987 e o título é certeiro.  Os concertos dos D.R.I. são um universo à parte, no qual fãs de hardcore e metal se misturam. Slam dancing e stagediving – dois conceitos enraizados no hardcore – agora tornam-se comuns em concertos de metal também. banda lendária pela primeira vez. 

 

A banda não edita nada de novo desde 1995 (excepção feita ao EP “But Wait…There’s More!” de 2016), mas há quem diga que um novo álbum pode estar na calha para o próximo ano. Vamos ver. Certezas, por enquanto, só uma: em 2021, os D.R.I. vão mesmo regressar a Portugal para um concerto imperdível, no Vagos Metal Fest!